O que é Black Hat? Conheça o conjunto de técnicas que pode prejudicar o posicionamento de seu site!


Artigo 1

Em um mercado cada vez mais competitivo e agressivo, empresas e marcas em ascensão que desejam aumentar a visibilidade em motores de busca como o Google tendem a adotar técnicas igualmente agressivas para garantir um bom posicionamento orgânico a curto prazo, entretanto, é preciso tomar cuidado para que não ocorra o “efeito rebote” e esses buscadores penalizem o seu site, por isso, minha primeira dica é: fuja do Black Hat!

Mas o que é Black Hat, afinal de contas?

Você se lembra dos filmes de bang bang, com vilões e mocinhos em cima de seus cavalos no Velho Oeste dos EUA? Pois bem, os vilões eram geralmente representados usando os black hats (chapéus pretos), enquanto os mocinhos usavam white hats (chapéus brancos), certo?

Trazendo isso à luz do marketing digital e, sobretudo, do SEO, o black hat SEO é lido como a utilização agressiva de técnicas de SEO sem a devida contextualização, com o intuito único e exclusivo de posicionar bem o site, sem considerar a experiência do usuário, seja no aspecto visual ou textual, enquanto os white hats se referem às boas práticas em SEO.

Práticas como a repetição excessiva das palavras-chave, conteúdos duplicados, spams em comentários, criação proposital de websites que direcionam ao seu somente para ganhar posicionamento e diversas outras são duramente condenadas pelo Google, que vem aprimorando cada vez mais seus algoritmos para detectar (e punir) empresas que agem dessa forma.

Adoção de técnicas de SEO x experiência do usuário: como agradar a sua persona atendendo os parâmetros do Google?

Os robôs têm sido cada vez mais utilizados em empresas e indústrias de todos os setores. Imagina como eles são úteis no campo da tecnologia em companhias como o Google?

Toda vez que você sobe um conteúdo em seu site, o Google leva um tempo para indexá-lo e, posteriormente, utiliza robôs que “escaneiam” os textos, imagens, links e demais recursos que foram empregados nas páginas, a fim de verificar o quão relevante é aquele conteúdo para a palavra-chave em evidência.

Como esses robôs não são seres humanos, algumas técnicas de SEO que o Google estabelece para definir se um site é relevante ou não são mais exatas do que abstratas. Uma delas se baseia no emprego de palavras-chave: se você está falando sobre cortinas persianas brancas, por exemplo, é importante que esse termo apareça algumas vezes no texto para o buscador entender que seu texto traz um conteúdo relevante sobre cortinas persianas brancas.

Partindo desse princípio, pessoas acreditam que repetindo palavras-chave excessivamente nos textos, poderão garantir um bom posicionamento, mas não é bem por aí: além dessa repetição demasiada deixar o seu texto com um aspecto pesado, não favorecendo a leitura, o Google ainda penaliza essa prática, estabelecendo uma taxa de, no máximo, 2% de palavras-chave em relação a todo o restante do conteúdo.

Na realidade, podemos dizer que uma coisa é consequência da outra: se o seu site não proporciona uma boa experiência ao usuário, o Google penalizará ele, por isso, diga não ao Black Hat!

Saiba quais são as principais práticas de Black Hat e conheça as respectivas white hats!

  • Palavras-chave em excesso

    Já descrita anteriormente, a primeira técnica é a keyword stuffing, que consiste na repetição excessiva da palavra-chave ao longo do texto, a fim de garantir posicionamento. Essa prática é uma das mais antigas utilizadas desde que se tomou conhecimento da relação “relevância do texto — utilização de palavras-chave”.

    Por proporcionar uma experiência negativa ao usuário que recebe esse conteúdo, o Google condena a prática e pode até ser que seu texto ganhe posicionamento por um tempo, mas quando os robôs do buscador detectarem o excesso de palavras-chave, seu website será penalizado e poderá até mesmo ser banido do maior buscador do mundo.

    Como alternativa a isso, o ideal é empregar as palavras-chave numa quantidade que faça sentido ao seu texto, evitando a repetição excessiva no mesmo parágrafo. Também vale utilizar sinônimos das palavras-chave, garantindo uma leitura mais fluida ao usuário e garantindo ainda a aprovação do Google.

  • Conteúdo copiado

    Também condenado no meio acadêmico e passível, inclusive, de penas perante a lei, a cópia de conteúdos fere princípios de direitos autorais, além de ser uma forma de Black Hat que não traz relevância alguma ao seu site, muito pelo contrário: garante posicionamento ao site que publicou aquele conteúdo primeiro, enquanto penaliza o site que copiou as informações.

    Muitas vezes, nos deparamos com páginas interessantes na Internet, com conteúdos que agregam e trazem referências, dados, pesquisas e depoimentos, entretanto, é fundamental que você leve informações originais para o seu negócio, até mesmo para passar uma maior autoridade à sua persona.

    Busque ler sobre o mesmo assunto em diversas fontes e extraia informações de sites de referência para aquele tema, ligados à agências nacionais, conselhos regionais, institutos nacionais de dados e pesquisas, entre outros. Também é importante sempre citar as fontes de onde aqueles dados vieram, dando maior credibilidade às informações e criando uma boa rede de links que direcionam seu usuário à sites confiáveis e relevantes, o que também é bem visto aos olhos do Google.

  • Conteúdos ou links escondidos

    Muitos sites não apenas utilizam técnicas de Black Hat, mas também tentam esconder esses conteúdos produzidos, camuflando-os com fontes minúsculas ou deixando os textos e links com a mesma cor de fundo do layout do site.

    Os hidden texts ou hidden links podem até passar despercebidos aos olhos do usuário, que poderá ver apenas um grande espaço em branco, mas não tem como enganar o Google: o buscador dispõe de mecanismos e robôs suficiente para detectar essas práticas, o que não trará nenhum bom resultado ao seu negócio, penalizando-o.

    Insira links confiáveis em seu site e não direcione seu usuário para malwares (conteúdos maliciosos com spams, golpes na Internet, adwares e vírus que prejudicam o seu usuário). Dessa forma, seu site ganhará relevância e os usuários darão credibilidade à sua marca e negócio, afinal, se até a BMW alemã já foi penalizada pela prática de Doorway Page em 2007, é melhor não arriscar, não é mesmo?

  • Doorway Pages e Cloaked Pages

    Ainda na tentativa de manipular os buscadores, as práticas de Black Hat podem ir além, criando páginas que são meras “portas de entrada” sem valor ao usuário que o direcionam, indevidamente, à outra página que precisa ganhar visibilidade que, por sua vez, estará excessivamente otimizada sem proporcionar conteúdos relevantes ao usuário também. Essa técnica é conhecida como doorway page e é fortemente repudiada pelo Google.

    Na mesma direção da Doorway Page, estão as cloaked pages, páginas encobertas que mostram um tipo de resultado ao buscador e outro ao usuário, na tentativa de enganar as ferramentas de busca e ganhar um bom posicionamento. O cloaking e a criação de doorway pages são práticas do Black Hat SEO que devem ser abominadas do seu site.

    Crie páginas que direcionam para links corretos e não tente enganar ou manipular as ferramentas de buscas, pois quando isso for detectado, seu site terá queda expressiva no posicionamento e poderá sofrer punições ou até mesmo o banimento da plataforma.

  • Links pagos ou trocados entre websites

    Pagar para que um outro site divulgue o link de seu site em algum lugar ou fazer divulgações trocadas (divulgar o site x no seu website e o site x divulgar o seu website no dele) também são práticas de Black Hat SEO nem um pouco bem vistas pelo buscador do Google, que penaliza tais práticas e dispõe de ferramentas para identificá-las.

    Como o trabalho de SEO é baseado em resultados orgânicos, nada como você criar uma rede de contatos orgânica também e receber divulgações de forma natural, pela qualidade ou relevância do seu produto ou serviço.

Você pode encontrar várias pessoas que dirão que é mais fácil fazer da forma “errada”, mas essas regras não se aplicam ao SEO. Antes de qualquer coisa, é preciso conhecer a técnica e entender que tanto o trabalho de indexação quanto de posicionamento é gradativa.

Todo posicionamento de seu site adquirido facilmente pode ter queda significativa com a mesma facilidade, já que os robôs do Google trabalham constantemente e recebem melhorias em suas atualizações. Adote as práticas white hats descritas ou contrate empresas especializadas em sistemas de marketing digital na Internet para auxiliá-lo a colocar esse trabalho em prática!